Aterrissamos no Vale do Silício (parte 3)

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Dia 22/10 – quarta-feira

Embora os alunos tivessem curso de inglês todos os dias pelas manhãs, neste dia incluímos uma programação surpresa e especial. Acordamos bem cedo, tomamos café no refeitório da universidade e partimos para San Francisco a fim de participar da primeira conferência para desenvolvedores promovida pelo Twitter.

Na ocasião encontramos um amigo brasileiro (o Luis Cipriani) que trabalha como engenheiro e evangelista há quase dois anos no Twitter. Muito animado com os novos lançamentos da empresa, Cipriani comentou: “Para a empresa é um passo importante pois todos veem o Twitter e os produtos da plataforma sempre focados na rede social, agora a empresa começou a lançar uma série de produtos voltados para o desenvolvimento de apps de qualidade, apoiando o desenvolvedor com ferramentas para a construção e o crescimento do seu projeto.”

Para nós, que estivemos presentes, foi um prazer enorme vivenciar toda a experiência proporcionada pelo Twitter. Embora fosse o seu primeiro evento do gênero, não ficou atrás se comparado aos grandes eventos como a WWDC e o Google I/O. O evento teve uma programação que se estendeu ao longo do dia e terminou com um super happy hour para os participantes, com direito a uma segunda festa após — esta restrita aos funcionários. Caso queira, confira aqui os detalhes mais técnicos do evento.

Dia 23/10 – quinta-feira

Neste dia os alunos retomaram as atividades de inglês promovida pela universidade e iniciaram a tarde vivenciando uma experiência um tanto quanto inusitada para o que estavam acostumados durante o curso. Assim que terminaram a aula de inglês, demos apenas 30 minutos para se arrumarem, comerem algum lanche rápido e estarem prontos; de novo, seguimos rumo a San Francisco.

O fato é que tínhamos uma reunião agendada estrategicamente após o almoço e precisávamos de no mínimo uma hora para o deslocamento até o local. Para quem estava vivendo uma vida confortável, retomamos a agitação e a correria de reuniões típicas do dia-a-dia de empreendedores.

A primeira visita agendada foi na Apex-Brasil (agência brasileira de promoção de exportações e investimentos), uma empresa que inicialmente surgiu como um braço do Sebrae e que hoje participa de ações pontuais do governo brasileiro, apoiando negociações comerciais entre empresas brasileiras e de outros países.

Com uma recepção “abrasileirada” promovida pela querida Fernanda Baker (gerente local do escritório da Apex em San Francisco), preparamos um café na cozinha do escritório da RocketSpace, considerado o maior espaço de coworking especializado em empresas de tecnologia que estão no Vale. Em seguida, fomos discutir — com o apoio e a participação da Fernanda — sobre oportunidades e negócios de forma pontual a respeito de cada projeto em desenvolvimento pelos alunos durante o curso de imersão.

Para finalizar o dia, fomos até um dos principais escritórios do Google na cidade de San Francisco. Lá, tomamos algumas cervejas enquanto apreciávamos a belíssima vista da Bay Bridge e “brincávamos” com o Google Glass. Sobre os óculos, duas funções me chamaram a atenção; a primeira é a possibilidade de traçar rotas a partir do comando de voz, o que facilita muito para quem está dirigindo; a segunda é a possibilidade de traduzir imagens que estão sendo capturadas por ele de forma instantânea.

Embora legal, acredito que ainda não justifica o custo de US$1.500 com relação aos benefícios. O que impressiona é a capacidade do software em substituir a letra/fonte do que está sendo traduzido — confira uma demonstração:

Publicado em: https://macmagazine.uol.com.br/post/2014/12/12/appreendedor-aterrissamos-no-vale-do-silicio-parte-3/

Conteúdos recentes

Vinte por cento

Dados do IBGE nos mostram que apenas 20% da área de tecnologia é ocupada por profissionais mulheres. Esse número é baixo, mas ainda assim fico feliz em fazer parte dessa estatística.

ler mais

Aterrissamos no Vale do Silício (parte 3)

por Renato Ribeiro Tempo para ler: 3 min
Share This